Troca de livros estimula conscientização entre os estudantes

Projeto do Colégio Talentos aliou ação ao ensino sobre economia financeira

Pensando em uma alternativa para economizar com a lista de material escolar e, ao mesmo tempo, estimular o pensamento crítico entre os estudantes, o Colégio Talentos, de Sorocaba (SP), desenvolveu o projeto “Troca de Livros”. Nele, alunos do Ensino Fundamental trocaram ou venderam livros paradidáticos entre si.

Como o material em questão é apenas de leitura, eles podem ser reaproveitados por outros estudantes. Nesse sentido, alunos do quinto ano, por exemplo, disponibilizaram seu exemplar para os estudantes do quarto ano, assim como receberam ofertas do sexto ano.

Uma das idealizadoras do projeto, a coordenadora Maria Francine Fonseca, explica que a ação levou em conta o próprio material de educação financeira estudado dentro de sala de aula, que envolve a sigla DSOP: Diagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar.

“É importante mostrar para a turma que os pais e responsáveis têm gastos com lista de material e que a reutilização evita o desperdício. Ao mesmo tempo, eles entendem que é necessário ter cuidado com o livro para que ele possa ser reutilizado por outros no futuro”, conta Maria Francine.

Na primeira edição da feira, realizada no início do ano, foram trocados e vendidos cerca de 200 exemplares. O colégio considerou a ação um sucesso e já se torno atividade fixa no calendário escolar. “Para tornar isso possível, conversamos com os pais. Sabemos que a lista de material é extensa e muitas vezes gera conflito”, comenta a coordenadora.

Segundo Maria Francine, o próximo passo é propor a troca de mochilas e lancheiras no final do ano. “Fizemos uma pesquisa e descobrimos que a maioria não reaproveita os objetos. Será uma nova oportunidade de aliar a economia e a conscientização ao conteúdo pedagógico”, completa.

Se você é professor, aluno ou gestor, compartilhe seus projetos pedagógicos com o pH. Quanto mais dividimos o nosso sucesso, mais ganhamos força. Vamos juntos? Envie-nos a sua história.

Sistema de Ensino pH na Bett Educar 2018

Confira os destaques do Sistema de Ensino pH para a Bett Brasil Educar 2019

Em seu segundo ano de participação, o Sistema pH traz para educadores a essência da educação que inspira ação com atividades interativas e solução educacional completa

Para fazer um amanhã melhor, precisamos agir hoje. E é dessa forma que o Sistema de Ensino pH busca inspirar ação dos agentes transformadores no meio educacional. Com o objetivo de educar não só para uma formação de qualidade, mas principalmente para inspirar a realização de boas práticas, o Sistema pH participa pela segunda vez do maior evento de educação da América Latina, a feira Bett Brasil Educar.

Com um estande inovador, os visitantes poderão entender melhor as principais mudanças que já foram inseridas nos materiais do Ensino Fundamental I do pH baseadas nas diretrizes na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Para fazer uma imersão com uma das competências gerais estabelecidas, o conteúdo da BNCC será exposto na Smart Window, um display LCD interativo, proporcionando a experiência tecnológica da cultura digital. Os educadores poderão tirar suas dúvidas com a equipe do Sistema sobre cada ponto do material e como ele deve orientar a educação nos próximos anos.

“As escolas devem se atentar que a BNCC é importante e é um marco na educação brasileira. No entanto, os conteúdos específicos, o que cada instituição de ensino irá direcionar, também é muito relevante, é a sua identidade, e nós procuramos orientar também nesse sentido”, reforça o coordenador do Sistema, Fabrício Cortezi.

Para o Ensino Fundamental II, o Sistema pH está preparando novos materiais alinhados às diretrizes formativas da BNCC. Por isso, na Bett Educar, teremos uma atração para trabalhar duas das habilidades que pautarão a construção e os trabalhos desses materiais: o raciocínio e a memória. Isso acontecerá através do Desafio Genius, jogo  muito conhecido na década de 80, onde o jogador precisa acertar uma sequência de cores que vai aumentando a cada rodada.

Já no Ensino Médio, por exemplo, é necessário memorizar fórmulas, entender melhor conceitos e lógica para se sair bem nos vestibulares. Por conta disso, o pH traz para a feira mais interatividade que estimule essas competências através do jogo da memória, mostrando como isso reflete nas aprovações para o ingresso nas principais universidades do país.

Vale destacar que os jogos interativos no estande do Sistema de Ensino pH disponibilizarão brindes aos ganhadores.

Outras atrações

Como uma solução educacional completa, o pH também oferece aos parceiros da rede o MKTpH, makerting educacional voltado às escolas da rede. As campanhas, oferecidas gratuitamente em parceria com a agência EMME, estarão expostas no estande. Iniciativas para captação de matrículas, para aproximação de pais e responsáveis e atuação efetiva nas mídias poderão ser vistas pelos educadores.

Além disso, o Plurall, plataforma de estudos online, também fará parte do estande com toda a tecnologia da sala invertida. A instalação é uma sala fechada cujas paredes e decoração serão imersas por projeções mostrando as principais ferramentas da plataforma.

E mais do que só a inovação tecnológica, se preocupar com a inovação em habilidades socioemocionais também é estar integrado com as exigências do século XXI. Por isso, o OLEM – O Líder em Mim, programa de aprendizagem socioemocional, estará junto do pH da feira Bett Educar instigando os educadores a refletirem sobre: Você está preparado para lidar com o futuro?

Para ver todas as atrações do estande do Sistema de Ensino pH na feira, basta se credenciar gratuitamente através do link.

O evento acontece entre os dias 14 e 17 de maio, das 9h às 19h, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. Visite o nosso estande na feira – número 90B.

 

Quero Bolsa: Dicas de interpretação de texto para o Enem

Data: 26/04/2019

Veículo: Quero Bolsa

Saber interpretar textos é um grande diferencial para o candidato que está se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), visto que questões envolvendo essa competência aparecem em todas as áreas do conhecimento.

Além disso, a interpretação de texto pode ser encarada como uma estratégia de prova, que ajuda a resolver as perguntas de um jeito melhor e mais rápido. Confira abaixo dicas valiosas para conseguir bons resultados nesse quesito e arrasar no Enem.

Leia com atenção

Uma leitura cuidadosa é o ponto de partida para uma boa interpretação. Para não precisar ler e reler o texto várias vezes, logo no primeiro contato é importante grifar as palavras-chave, de modo a tornar mais claro o conteúdo trabalhado pelo autor, e também checar a ideia central do texto.

Identifique o gênero textual

O vestibulando deve saber o gênero textual com o qual está trabalhando. Alguns exemplos comuns são matéria de jornal, poema, trecho de romance, publicidade, e-mail e manual de instrução.

Outro elemento para identificar, segundo o professor e autor do material de redação do Sistema de Ensino pH, Thiago Braga, é o modo de organização discursiva do texto: descritivo, narrativo, argumentativo, injuntivo ou expositivo. “A partir disso, é preciso entender a intenção do texto e o seu público-alvo”, falou.

Leia mais

Jornal do Comércio do Ceará: Professores que inspiram são figuras mais relevantes em sala de aula

Data: 22/04/2019

Veículo: Jornal do Comércio do Ceará

Segundo Cláudio Falcão, diretor do Sistema de Ensino pH, é importante que os educadores sejam guias do conhecimento

A dinâmica clássica entre educadores que transmitem o conteúdo e alunos passivos vem caindo em desuso, por isso, muito se discute sobre a nova figura do professor. Com a educação ressignificando os papéis, um dos caminhos para se tornar relevante em sala de aula é inspirar os estudantes. Para Cláudio Falcão, diretor do Sistema de Ensino pH, essa inspiração não precisa ser necessariamente para uma carreira. “Mais do que propriamente em relação a uma profissão específica, ele pode influenciar uma postura e uma visão de mundo”, comenta.

Falcão também aponta a importância da contextualização da matéria com o mundo atual. “Quando contextualizamos a aula, o conteúdo passa a ganhar um sentido que vai além e torna-se um saber relacionado ao mundo real”. Como os alunos constantemente perguntam a utilidade das matérias aos docentes, isso se torna um diferencial do educador. “Se ele consegue mostrar que aquele aprendizado faz parte do cotidiano e da realidade em que a turma vive, a matéria passar a fazer sentido”, explica Falcão.

Leia mais

Colegio UCRI

Alunos montam negócio próprio durante aula de empreendedorismo

Escola Ucri, no Macapá, fez uma parceria com o Sebrae para levar noções de negócios aos estudantes do Ensino Fundamental

Um dos eixos que irão estruturar os itinerários formativos nas escolas, a partir de 2021, é o empreendedorismo. Na Escola Ucri, no entanto, os estudantes já realizam atividades do tipo há seis anos. Localizada no Macapá (AP), a instituição parceira do Sistema de Ensino pH faz parte de um projeto do Sebrae e, uma vez por semana, trabalha com noções de economia e plano de negócios, na teoria e na prática, com os estudantes.

O trabalho é feito durante todo ano, com aulas uma vez por semana para alunos do Infantil ao Fundamental II. Segundo a coordenadora pedagógica Celiane da Silva Ramos, professora da escola há 20 anos, o objetivo do projeto é formar cidadãos mais conscientes do valor do dinheiro.

“É uma oportunidade de desenvolver o espirito empreendedor e conscientizar nossas crianças. Hoje existe menos desperdício na escola porque eles entendem que os recursos são finitos e que é necessário economizar”, conta.

As aulas de empreendedorismo acontecem no meio do curso Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), do Sebrae. Segundo a entidade, o método possibilita que a criança aprenda de forma lúdica, desenvolvendo habilidades e comportamentos empreendedores. Após firmar a parceria, os professores recebem cursos capacitadores e um material com o programa de aulas.

Nos primeiros meses do ano letivo, os estudantes focam na teoria, aprendendo sobre lucro, prejuízo, valores e estratégias. A partir de agosto, eles colocam a mão na massa. Cada turma elabora seu próprio negócio e coloca produtos à venda na escola. Além disso, os professores saem com grupos de 10 jovens para vender nos estabelecimentos comerciais vizinhos do colégio, tudo com autorização prévia dos pais. Todos os valores são gerenciados pelos representantes de turma.

Em setembro acontece a Feira do Empreendedorismo, onde os estudantes mostram o resultado do trabalho realizado. Após calcular ganhos e perdas, eles recebem envelopes com o valor arrecadado com o comércio que criaram. “Alguns estudantes já compraram até celular economizando dinheiro”, conta Celiane.

Se você é professor, aluno ou gestor, compartilhe seus projetos pedagógicos com o pH. Quanto mais dividimos o nosso sucesso, mais ganhamos força. Vamos juntos? Envie-nos a sua história. 

Sistema de Ensino pH é presença confirmada na Bett Educar 2019

O Sistema de Ensino pH estará novamente na Bett Brasil Educar, expondo todos os diferenciais da Plataforma, materiais e sua ferramenta digital, o Plurall. Além destas exposições, também estarão dispostos no estande deste ano os serviços do MKTpH, serviço de marketing educacional para as escolas da rede, em parceria com a agência Emme e um espaço especialmente reservado para o LEM (Líder Em Mim) que retorna também em 2019 para a feira.

A Bett Educar é o maior evento de educação e tecnologia da América Latina, onde congrega, anualmente, mais de 230 empresas nacionais e internacionais, mais de 19 startups do setor e cerca de 22.000 participantes da comunidade educacional de todos os estados brasileiros.

A entrada para a feira é gratuita e você pode realizar o seu credenciamento clicando aqui. Confira abaixo as datas, horários e local:

Estande nº E90.

Terça-feira 14 de maio, 09:00 – 19:00
Quarta-feira 15 de maio, 09:00 – 19:00
Quinta-feira 16 de maio, 09:00 – 19:00
Sexta-feira 17 de maio, 09:00 – 19:00

Transamerica Expo Center
Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro-SP (Veja o mapa).

Fontes: Bett Educar/ Sistema de Ensino pH

Insituto Kairos

Com semana especial, Instituto Kairós trabalha o “Conteúdo Família” na Educação Infantil

Os arranjos familiares com diversas configurações sempre existiram. Uma mãe cria seu filho sozinha, uma criança é de responsabilidade de avós ou tios, pais se separam e casam novamente, constituindo uma nova família, e todos os filhos moram juntos sob o mesmo teto. Esse “novo contexto” acarreta adaptações e mudanças na apresentação do conceito família para as crianças e jovens.

O Instituto Kairós, através da sua Educação Infantil, promoveu, especificamente para as crianças de 2 anos da série Infantil II, uma semana especial com a apresentação do “Conteúdo Família”. “Ele (o conteúdo) vem disposto no nosso material didático e é um conteúdo muito abrangente, nele podemos trabalhar desde os tipos de moradias das famílias até as cores”, afirmou a professora titular da turma, Profa. Inês ou como é conhecida “Tia Inês”.

Ela relata ainda que a diversidade é algo presente no conteúdo e ressalta a identificação das crianças com cada tipo de família: “É muito significativo poder trabalhar os diversos tipos de família: a família que é só a mamãe e o filho ou o papai e o filho, outras que é o vovô e a vovó que cuidam. É a diversidade presente no nosso dia a dia. As crianças adoraram e ao mesmo tempo se identificaram com as definições: ‘Tia, eu não tenho irmão’, ‘Tia na minha é casa é só eu, o papai e a mamãe’, ‘Tia eu tenho um cachorrinho’’, declarou.

Para Lanna Aragão, profissional da área administrativa e financeira da Maternidade e Hospital Dr Francisco Araújo de Ipu e mãe da pequena Laura, o trabalho do “Conteúdo Família” na Educação Infantil proporcionou estímulos e vivência de momentos que alicerçaram os sentimentos da criança com a família. “Pela forma de demonstrar carinho, através de gestos, ações, palavras e frases como a que me falou hoje: ‘Vou fazer uma cartinha para a mamãe’, achei lindo isso, até porque nunca havia falado nada pra ela sobre cartas. Então, a família exerce um importante papel no desenvolvimento e amadurecimento de nossos filhos para que sejam filhos saudáveis. Trabalhar a importância da família com as crianças, na minha opinião, é de grande valia’’, declarou.

Tendo o objetivo de ofertar um Ensino Infantil de qualidade e nível, mas sem perder a essência da criança, o Instituto Kairós concretiza o sucesso da parceria Pais&Escola com a realização dos projetos. “Podemos dizer que um projeto deu certo quando ele se estende pra fora dos muros da escola, quando os pais vieram buscar as crianças e vimos nítido nelas a empolgação de mostrar pra eles a foto da sua família exposta, concretiza nossa principal missão”, declara a Coordenadora da Educação Infantil, Profa. Daniele Cavalcante.

Se você é professor, aluno ou gestor, compartilhe seus projetos pedagógicos com o pH. Quanto mais dividimos o nosso sucesso, mais ganhamos força. Vamos juntos? Envie-nos a sua história.

Quero Bolsa: 5 grandes ameaças à saúde que podem cair no Enem

Data: 05/04/2019

Veículo: Quero Bolsa

“A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade.”

Esse conceito, definido em 1946 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tem o objetivo de ampliar a visão da população do que é estar saudável. E o dia 7 de abril, data em que se comemora o Dia Mundial da Saúde, foi criado justamente para garantir o melhor nível de saúde para as pessoas em todo o mundo e conscientizá-las quanto a fatores que afetam a qualidade de vida.

No início de 2019, a OMS listou 10 grandes problemas à saúde que precisam ser combatidos desde já para evitar mortes e quedas no bem-estar populacional. São estes:

  1. Poluição do ar e mudança climática;
  2. Doenças crônicas não contagiosas (diabetes, hipertensão, câncer…);
  3. Pandemia global de gripe;
  4. Cenários de fragilidade e vulnerabilidade;
  5. Resistência bacteriana;
  6. Ebola e outros agentes infecciosos letais;
  7. Atendimento primário de saúde deficiente;
  8. Medo de vacina;
  9. Dengue;
  10. HIV.

Como são temas importantes e atuais, alguns tópicos podem ser abordados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano. A Revista QB conversou com o Nelson Castro, professor de biologia do Curso Anglo, e a Heloisa Agudo, autora do material de biologia do Sistema de Ensino pH, para indicar quais desses assuntos os estudantes precisam ficar atentos para a prova.

Leia mais

CEMOL

Ensino de ética melhora desempenho escolar de alunos do CEMOL

Colégio de São Gonçalo foi um dos premiados no Encontro de Marketing do Sistema de Ensino pH

Melhorar a convivência dentro da escola e formar cidadãos conscientes. Esse foi o objetivo do Centro Educacional Monteiro Lobato, de São Gonçalo (RJ), com o projeto “ComViver”, realizado durante quatro semanas no ano passado. A iniciativa foi uma das premiadas no Encontro de Marketing do Sistema de Ensino pH do Rio de Janeiro, realizado no último mês.

A diretora pedagógica do colégio, Cláudia Zarro, conta que a ação surgiu pela insatisfação dos professores com o comportamento dos alunos do primeiro ano do Ensino Médio. “Não havia respeito entre eles, faziam brincadeiras inadequadas e xingavam muito uns aos outros”.

Foi então que a professora Cinthia, de Filosofia, teve contato com o curso Jornada da Ética, ministrado pelo professor Clóvis de Barros Filho e parte das soluções educacionais do Sistema de Ensino pH. A partir daí, decidiu trazê-lo para os alunos.

“Ela (Cinthia) fez as trilhas da jornada durante as aulas. E eles (estudantes) começaram a perceber que não tinham boa convivência porque não sabiam como agir um com o outro”, ressalta Cláudia.

A primeira ação foram as pílulas do bem. A turma foi incentivada a falar palavras de gentileza, ajudar nas tarefas em casa, dar abraços grátis e dizer ‘eu te amo’.  Depois, foram chamados a uma reflexão sobre como poderiam melhorar a convivência nos espaços que ocupavam. “O resultado foi surpreendente porque eles viram que são pequenas atitudes e pequenos gestos que podem transformar a vida ao redor”, diz Cláudia.

Após a premiação do encontro de marketing, a escola ganhou uma palestra do professor Clóvis de Barros Filhos, que será realizada no dia 28 de março para alunos, pais e diretores do município.

Rendimento

Ao final do ano letivo, o resultado do curso foi percebido no rendimento escolar. Além da melhora no comportamento, todos os estudantes passaram de ano sem recuperação.  “Foi uma solução para um problema. Em função disso, estamos ampliando o projeto e vamos desenvolver um tema por mês, com toda a escola, para que os alunos levem o conhecimento ético para a vida”, conta Cláudia.

A diretora pedagógica tem a consciência de que toda a questão envolve uma construção ao longo de todos os anos e que isso é essencial para formar “cidadãos melhores para a sociedade”. “O mundo precisa de pessoas mais humanas, e é isso que a nossa escola faz”.

Se você é professor, aluno ou gestor, compartilhe seus projetos pedagógicos com o pH. Quanto mais dividimos o nosso sucesso, mais ganhamos força. Vamos juntos? Envie-nos a sua história.

Encontro pedagógico promove discussões sobre boas práticas em sala de aula

Sistema de Ensino pH realizou evento em São Paulo para reunir escolas parceiras

O Sistema de Ensino pH realizou, em março, o primeiro Encontro Pedagógico do ano na cidade de São Paulo. Com a participação de professores e educadores da região, o evento foi uma oportunidade para a troca de experiências e para debater, de forma plural, as diversas correntes que influenciam a educação tanto no Brasil como no mundo.

Segundo Cláudio Falcão, diretor do Sistema de Ensino pH, o evento teve a preocupação de fazer com que o professor parceiro pudesse levar para a sala de aula argumentos, ideias e estratégias tangíveis.

“O Encontro Pedagógico tem um papel fundamental de compartilhar boas práticas educacionais e pedagógicas, trazer as inovações e as novidades de metodologia e, principalmente, o compartilhamento da rede”, afirma.

A rede do Sistema de Ensino pH engloba hoje mais de 220 escolas parceiras espalhadas por todo o Brasil. Com a troca de experiências, os colégios mostram que a soma de uma rede tem papel maior do que uma escola individual.

Debate

A professora Heloísa Agudo foi uma das palestrantes do encontro e falou sobre como aplicar as metodologias ativas em sala de aula. A profissional explicou como é possível incentivar o estudante a aprender a partir de problemas e situações reais, sendo ele o responsável pela construção do conhecimento. O evento também abordou o ensino das habilidades socioemocionais e o seu papel para melhorar o rendimento do aluno e de desenvolver a consciência social e cidadã.

“Nosso encontro se baseou nesses dois pilares: metodologias ativas e discussão socioemocional, com foco no rendimento do aluno, mas também em um trabalho para promover a aceitação da diversidade e o combate praticas excludentes”, completa Falcão.

O próximo Encontro Pedagógico do Sistema de Ensino do pH acontece no Rio de Janeiro, no segundo semestre.