HomeBlogNossa RedeAluna do Sistema pH participa de Olimpíada Brasileira de Biologia

Aluna do Sistema pH participa de Olimpíada Brasileira de Biologia

Eduarda Moraes, 16, está na 2ª série do Ensino Médio do Colégio Espírito Santo (RS)

A estudante Eduarda Moraes, 16, foi a única representante de Canoas (RS) a participar da segunda fase da Olimpíada Brasileira de Biologia 2019, que aconteceu em abril. A aluna do Colégio Espírito Santo fez parte da lista de 175 gaúchos com nota maior ou igual a 20 na prova da primeira fase, que teve participação de quase três mil estudantes de 58 escolas públicas e particulares do Estado. Em todo o Brasil, participaram 125 mil alunos na primeira fase, sendo 8,2 mil aprovados.

Desde que soube da aprovação na primeira fase, Eduarda intensificou os estudos, refazendo provas de edições passadas da olimpíada e pesquisando os conteúdos cobrados. Nesse sentido, ela ressalta a importância do material do Sistema de Ensino pH. “O pH é bem regrado e traz muito mais conteúdo e exercícios, além de todo um apoio de monitores on-line para ajudar a esclarecer dúvidas na hora de estudar. E fazer exercícios é o caminho para aprender”.

A paixão de Eduarda Moraes pela Biologia vem de pequena. A estudante do Colégio Espírito Santo não lembra exatamente quando despertou esse interesse, mas afirma que sempre foi fascinada pelo estudo da vida, principalmente da área relacionada à botânica. Tanto que ela mantém, desde 2017, um herbário, pequeno caderno onde cataloga plantas que encontra no caminho da escola.

“É um hobby que conecta tudo o que aprendo. Ao fazer o herbário gravo mais as características e a taxonomia das plantas, fixando os nomes de família, gênero e espécie”, afirma.

Por ser a primeira participação do CES na Olimpíada Brasileira de Biologia, a professora Aline Beatrici conta que não projetava aprovados para a segunda fase. “Mais de 30 alunos tiveram interesse em participar. Confesso que ao olhar as provas anteriores, não acreditava que algum aluno passaria da primeira fase. Minha surpresa foi grande não só ao ver que a Eduarda conseguiu passar para a segunda fase, mas que outros alunos ficaram bem próximos da nota de corte”, se orgulha.

Aline atribui o resultado à metodologia do Sistema de Ensino pH. “A Eduarda iniciou no Ensino Médio junto com o Sistema de Ensino pH e ela incorporou esta proposta. É uma aluna que se dedica aos estudos e vai além da aula dada”, complementa a supervisora Sandra Clavé. A classificação de Eduarda motivou alunos e professores de outras disciplinas a inscrever o CES em diferentes olimpíadas nacionais.

Se você é professor, aluno ou gestor, compartilhe seus projetos pedagógicos com o pH. Quanto mais dividimos o nosso sucesso, mais ganhamos força. Vamos juntos? Envie-nos a sua história.