HomeBlogEscolaIntervenção pedagógica: como realizar na sala de aula

Intervenção pedagógica: como realizar na sala de aula

Acompanhar o aprendizado e o rendimento dos alunos é papel de professores e coordenadores pedagógicos. Esse acompanhamento é fundamental para a identificação de conteúdos que precisam ser revistos, dificuldades e transtornos de aprendizagem. Para todos os tipos de dificuldades, existem intervenções pedagógica possíveis.

Preparamos este artigo para ajudar educadores e profissionais da educação a planejarem e realizarem intervenções pedagógicas em ambiente escolar. Confira!

O que é intervenção pedagógica?

A intervenção pedagógica é uma interferência feita por um profissional da educação sobre o processo de desenvolvimento e aprendizagem do estudante no momento em que uma dificuldade é identificada. O objetivo dessa ação envolve possibilitar que o aluno compreenda e absorva os conteúdos desenvolvidos na escola.

A intervenção pedagógica modifica o processo educacional na medida em que o docente precisa traçar estratégias e pensar em novas formas de abordar o conteúdo. Trata-se de um ótimo recurso para combater dificuldades escolares comuns, melhorando o relacionamento entre alunos e escola.

Como planejar intervenções pedagógicas?

A intervenção pedagógica é mais eficaz quando toma resultados de avaliações como base. Realizar avaliações de forma contínua é interessante para que o acompanhamento próximo do aprendizado dos alunos seja possível. Não basta, no entanto, aplicar as avaliações. Os resultados precisam ser analisados para que a intervenção pedagógica consiga agir mais especificamente nas dificuldades encontradas e, assim, ser assertiva. Após a análise dos resultados, os educadores devem buscar novas formas de conduzir suas aulas e apresentar o conteúdo aos alunos.

A comparação de resultados entre diferentes turmas pode contribuir para identificação de possíveis melhorias. Essa prática permite determinar componentes curriculares ou áreas do conhecimento que apresentam resultados mais ou menos heterogêneos. Analisando a taxa de acerto das questões, é possível compreender em quais conteúdos o desempenho do aluno precisa melhorar, sendo mais claro para o educador onde agir.

A cultura de avaliar os estudantes continuamente permite que intervenções pedagógicas diferentes sejam realizadas. Assim, o professor consegue conhecer seus alunos, identificando quais as estratégias são mais eficazes e mais satisfatórias.

A intervenção pedagógica na sala de aula

Uma vez que os pontos que os alunos precisam melhorar são identificados, é hora de pensar nas estratégias que serão adotadas em sala de aula com foco no desempenho dos estudantes.

Aulas de revisão dos conteúdos mais errados

Aulas de revisão dos conteúdos com menores taxas de acerto é a forma mais comum de intervenção pedagógica. No entanto, é interessante que essa revisão seja feita de maneira diferente da forma que o conteúdo foi abordado inicialmente.

O educador pode e deve buscar novas estratégias para ensinar o conteúdo, não trabalhando apenas com aulas expositivas. O uso da internet é um grande aliado nesse processo.

Gamificação

O professor pode trazer as dinâmicas de games para a sala de aula. A gamificação no processo pedagógico busca torná-lo mais atrativo por meio de características como competição, busca por recompensa, socialização e prazer pela superação.

O uso de recursos tecnológicos, como celular ou tablet, é muito aplicável no processo de gamificação do aprendizado. Os alunos se sentem mais motivados quando a tecnologia é utilizada, uma vez que o aprendizado passa a ser mais divertido e desafiador.

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida consiste em os alunos estudarem o conteúdo escolar em casa por meio de leituras, videoaulas e demais recursos virtuais. Já na sala de aula, fazem exercícios e tiram dúvidas com o professor.

Com esse modelo de aula, o aluno passa a assumir o papel de protagonista do seu próprio aprendizado. O professor, então, é o mediador do conteúdo.

Organizar grupos de estudos entre os alunos

O professor pode estabelecer um momento da aula em que os alunos são divididos em grupos para discutirem um assunto que têm dificuldade. Estudando em conjunto, eles podem se ajudar e compreender o conteúdo de forma mais leve e natural, desenvolvendo também questões ligadas à colaboração. O docente, portanto, pode intervir nesses momentos e solucionar dúvidas.

Essa prática pode ser incentivada para além da sala de aula. A escola pode propor que os estudantes mantenham os grupos de estudos e se disponibilizar para tirar as dúvidas que surgirem durante os encontros. Além disso, a instituição pode ceder uma sala para a prática, permitindo que os grupos aconteçam dentro da própria escola .

Estratégias para além da sala de aula

O educador e a escola devem incentivar e propor estratégias de intervenção para além da sala de aula. Além de grupos de estudos entre os alunos, podem incentivar que os estudantes busquem videoaulas, plantão online de dúvidas e estimular que alunos com melhor desempenho ajudem os colegas com mais dificuldade.

Conclusão

A escola tem o papel de acompanhar o desenvolvimento e o desempenho dos alunos. Quando uma dificuldade for encontrada, os educadores devem agir a fim de minimizá-la e impulsionar os resultados dos discentes. Para planejar uma intervenção pedagógica, é importante avaliar os alunos para identificar os pontos que precisam ser melhorados.

A partir da avaliação e análise de resultados, as intervenções podem ser planejadas e passam por diversas estratégias. Quer saber mais sobre como melhorar o desempenho dos alunos a partir da avaliação? Baixe o infográfico gratuito:

Sua escola tem a cultura de realizar avaliações contínuas e intervenções pedagógicas? Comente!