HomeBlogEscolaApliquei a avaliação, e agora?

Apliquei a avaliação, e agora?

As avaliações vêm sendo utilizadas nas escolas desde sempre como forma de aferir a compreensão dos alunos quanto aos conteúdos apresentados. Elas têm papel fundamental no processo educativo e, dependendo da forma como são conduzidas, podem contribuir para a aprovação ou reprovação dos alunos.

Devido a isso, é importante que o trabalho com as avaliações não acabe no momento de sua aplicação. Mas o que a escola deve fazer após a aplicação das provas? Preparamos este artigo com ações que devem ser tomadas após a aplicação das avaliações visando a melhoria no desempenho dos estudantes. Confira!

Entenda o objetivo das avaliações

Alunos e professores, muitas vezes, não têm clareza do objetivo das avaliações, associando-as a uma simples verificação da aprendizagem ou obtenção de notas. O caráter formativo das avaliações deve ser destacado e todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem devem ter ciência de que as avaliações têm o papel de fornecer dados importantes sobre esse processo para, então, servirem como base para intervenções pedagógicas.

A avaliação tem como objetivo auxiliar o educador com elementos que refletem sobre sua prática, para o planejamento de novas intervenções e para a retomada de aspectos que precisam ser revistos. Para o discente, a avaliação deve ser um instrumento de conscientização do seu envolvimento na tarefa de aprender.

O que fazer após a aplicação das avaliações?

O primeiro passo a ser feito após a aplicação das avaliações é analisar os resultados. As questões mais erradas merecem uma atenção especial, é preciso verificá-las e buscar entender se a dificuldade encontrada é relacionada à compreensão do conteúdo abordado na questão ou ao desenvolvimento da habilidade mobilizada.

Após a análise e compreensão dos resultados, estratégias precisam ser definidas para uma intervenção pedagógica eficaz.

Intervenção pedagógica

As intervenções pedagógicas devem ser planejadas pensando não em um aluno ideal, mas sim no contexto real da sala de aula. Por isso as avaliações são tão importantes: elas vão dizer quem são os estudantes e se eles de fato aprenderam o previsto no planejamento. Além disso, as avaliações permitem ao docente identificar os instrumentos e procedimentos mais adequados para trabalhar os conteúdos e até mesmo avaliar seus alunos.

Existem várias maneiras de realizar intervenções pedagógicas. Retomar os conteúdos que os estudantes apresentaram mais dificuldades, mudar a estratégia de aula e até a estratégia de avaliação são ações que podem impactar positivamente no resultado dos alunos. O professor pode utilizar metodologias ativas, promover aulas fora do espaço da sala de aula e propor trabalhos avaliativos como formas dessas mudanças.

Mudança na estratégia de avaliação

Para o desenvolvimento de uma prática de avaliação formativa, é essencial que o educador avalie não apenas os estudantes, mas a forma como ensina, os métodos utilizados e o próprio processo de avaliação. Repensar esses aspectos possibilita uma reorganização do trabalho desenvolvido em sala de aula para que haja uma melhora no processo educativo e para que a avaliação passe a ser cada vez mais formativa e menos classificatória, sendo critério para a aprovação ou reprovação dos discentes.

O docente deve possibilitar a participação dos estudantes no processo de aprendizagem, conhecendo, inclusive, as regras das avaliações, de forma que atuem como sujeitos ativos nesse processo e não apenas como receptores de informação. A aprovação ou reprovação não devem ser vistas como resultado do esforço do aluno apenas, mas também como reflexo do processo de ensino-aprendizagem, identificando falhas que precisam ser corrigidas.

Avaliação contínua

A avaliação com objetivo formativo permite constatar se os alunos estão de fato atingindo os objetivos pretendidos. Por isso, é essencial que ela seja feita de forma contínua. Assim, durante todo o período escolar, é possível verificar a compatibilidade entre os objetivos definidos no planejamento e os resultados efetivamente alcançados durante o desenvolvimento das atividades propostas.

A cultura de avaliar continuamente os estudantes traz uma série de benefícios, como identificar pontos a melhorar, conhecer o desempenho e o perfil dos alunos, gerar análises que contribuem com o planejamento pedagógico dos docentes. Ainda, possibilita o estabelecimento de metas claras. Avaliar os alunos continuamente, oferecendo feedbacks, auxilia a escola a compreender as lacunas de aprendizagem e, se bem trabalhada, promove uma maior motivação dos discentes , uma vez que conseguem saber quais são suas prioridades e em que focar mais.

Além disso, as avaliações contínuas servem não apenas para verificar o que foi aprendido ou não, mas a habilidade dos estudantes em lidar com outros fatores importantes que podem interferir no desempenho deles em avaliações, como a tensão, o cansaço e a capacidade de concentração.

Conclusão

A avaliação realizada pela escola deve direcionar a ação pedagógica, visando a identificação de dificuldades e pontos fortes dos estudantes, para, então, traçar estratégias para atender às necessidades dos discentes. A avaliação deve promover uma interação entre alunos e professores, permitindo detectar dificuldades específicas de cada estudante.

Por isso, o trabalho com avaliações não deve se encerrar com a aplicação delas. É necessário realizar uma análise de resultados para promover intervenções pedagógicas que vão impactar positivamente no desempenho dos alunos. Quer saber mais sobre como melhorar o desempenho dos alunos a partir das avaliações? Baixe o infográfico gratuito:

apliquei-a-avaliacao-e-agora-cta

Sua escola tem a cultura de avaliação contínua? Comente!